29 jan. 15

Internamente, Sabesp prevê adoção de rodízio de água em menos de 2 meses

Questão de tempo Embora o governo Geraldo Alckmin insista em dizer que não há nada definido, a Sabesp avalia que o rodízio mencionado em entrevista pelo diretor metropolitano da empresa, Paulo Massato, terá de ser adotado nos próximos dois meses. Como a ordem dada pelo governador à estatal é “não deixar zerar” os reservatórios do sistema Cantareira, a empresa acredita que o ritmo atual de chuvas e de retirada de água obrigará a implementação do racionamento nos próximos 50 dias.

Pai da matéria Apesar de ter mencionado o regime de cinco dias sem água para dois com, Massato é um dos defensores, na Sabesp, da política atual, de reduzir a pressão da rede sem cortar de vez o fornecimento de água.